Talvez você não saiba mas os quadrinhos e artistas pernambucanos sempre estiveram entre os mais atuantes e talentosos do Brasil. Nem mesmo a distância do eixo sul-sudeste foi capaz de impedir que esses bravos guerreiros se destacassem. Em janeiro de 2011, em comemoração ao dia dos quadrinhos nacionais, a Produtora Artística de Desenhistas Associados (P.A.D.A.) organizou uma retrospectiva para tentar resgatar uma parte dessa história.

E essa história é muito mais antiga do que se pode imaginar. Desde 1858, com o nascimento do olindense Crispim do Amaral que era cenógrafo, pintor de gênero, aquarelista, ilustrador, desenhista, caricaturista, editor, decorador e ator até os dias de hoje, as artes gráficas pernambucanas sempre tiveram seus momentos de pico e de destaque no cenário nacional.

Foi de outro pernambucano, Péricles de Andrade Maranhão, a criação de um dos personagens mais icônicos e famosos já criados no Brasil: O Amigo da Onça. O sucesso do personagem era tanto que ele foi publicado ininterruptamente nas páginas de "O Cruzeiro" de 23 de outubro de 1943 a 3 de fevereiro de 1962.

Nos anos 70/80, um grupo de jovens “loucos” artistas produziram a maior cadeia produtiva de histórias em quadrinhos que o estado já teve. Eram eles Wilde e Watson Portela, Zenival, Paciência, Libório, Roberto Câmara entre outros. Eles produziram algumas das melhores histórias de terror, ficção, faroeste e cangaço daquela época. E, no meio deles, havia um desenhista genial chamado Watson Portela que revolucionou os quadrinhos da época com suas histórias psicodélicas com um traço limpo e detalhista (que ia de contra aos estilos utilizados até então). Dia 17/08/2012, as 17 horas no Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM), o desenhista irá receber um troféu por sua contribuição aos quadrinhos nacionais. Mais informações clicando aqui.

Na primeira década do novo milênio, o destaque pernambucano é o ilustrador Laílson de Holanda Cavalcanti não só pelos seus trabalhos como Pindorama e Lusíadas 2500 mas também como criador e curador durante sete anos (1999-2005) pelo FESTIVAL INTERNACIONAL DE HUMOR E QUADRINHOS DE PERNAMBUCO responsável por trazer para o estado nomes lendários como WILL EISNER, JERRY ROBINSON, DON ROSA, JANO e outros.

Chegamos então ao ano 2012 e encontramos, em plena efervescência, a P.A.D.A. produzindo e publicando quadrinhos de Pernambuco para o Brasil inteiro através de, primeiramente, sua revista PRISMARTE, que já alcançou a incrível marca de 56 edições, e, também, com o lançamento de novos títulos como GRAPHIC PADA e DO ALÉM. A primeira, um álbum que reúne histórias de grandes artistas nacionais e a segunda voltada para o terror. A P.A.D.A. é bastante conhecida em todo o Brasil tendo publicado em suas páginas não só artistas pernambucanos mas também de quase todo o Brasil.

A P.A.D.A. vem produzindo quadrinhos de qualidade que abordam temas universais como FAROESTE, FICÇÃO CIENTÍFICA, AVENTURA, HUMOR e DRAMA e artistas famosos já passaram por suas páginas como NESTABLO RAMOS (ZOO e ZONA ZEN), ALEXANDRE LOBÃO (ULTRAX), E. C. NICKEL (famoso desenhista nacional dos anos 80) e, até mesmo, o grande mestre JÚLIO SHIMAMOTO.

Se você não conhece os quadrinhos Pernambucanos, não sabe o que está perdendo. Se quer conhecer, acesse o site da P.A.D.A e entre num novo mundo de histórias em quadrinhos.

LEONARDO SANTANA é colunista do Nerd Etílico, roteirista de quadrinhos e uma das cabeças organizadoras da P.A.D.A.


Decepção!  Fãs de longa data do Cabeça de Teia definitivamente sentirão essa sensação ao conferir "O Espetacular Homem-Aranha".  Diversos fatores contribuíram para que isso acontecesse.  Vamos destroçá-los agora.

Não faz muito tempo que a trilogia anterior do herói acabou.  O último filme tinha sido de 2007.  E, convenhamos, Sam Raimi fez um excelente trabalho.  No terceiro longa, a coisa desandou.  Mas a culpa principal foi da Sony Pictures que queria empurrar o Venom a todo custo.  E Raimi já tinha declarado seu desafeto com o personagem.

Enfim!  A comparação, então, é inevitável.  O diretor anterior conseguiu capturar a essência de Peter Parker.  Um cara C.D.F. que é alvo constante de insultos na escola, sem sorte com as mulheres e um liso de carteirinha!

Agora, Andrew Garfield personifica um Parker mais confiante em si, descolado (mas nem tanto), que anda de skate e tenta salvar os estudiosos vítimas de bullyng por parte de Flash Thompson.  Nada dos óculos gigantes de lentes grossas.  Peter agora usa lentes de contato e gelzinho no cabelo para ficar com o visual mais "moderninho".

A descaracterização é tão destoante que custa um pouco a engolir que aquele é o nosso Peter Parker.  Não só o azarado visualizado por Raimi, mas também o grande C.D.F. dos quadrinhos que inspiraram (ou deveria inspirar, ao menos) os filmes!


Contudo, o diretor Marc Webb consegue tocar em alguns pontos esquecidos por Sam na trilogia original.  E esses eram a grande promessa do reboot.

O lado gênio de Peter é melhor trabalhado.  Ele consegue resolver equações de química pra lá de complicadas e fazer algumas engenhocas como a trava automática da porta do quarto.  E isso acaba refletindo na sua personalidade tornando-o um "anti-social" no melhor estilo Mark Zuckerberg ou Bill Gates.  Mas sem a ganância de ambos.  Afinal, com grandes poderes vem grandes responsabilidades!

O passado sobre os pais de Parker era uma das promessas que acabou se tornando vazia.  Visando já outras continuações, a trama se mantém aberta não só sobre o paradeiro do sr. e sra. Parker.  A perseguição ao assassino do tio Ben (Martin Sheen) é esquecida para ser explorada mais à frente.

Também é resgatado dos quadrinhos o arco de histórias envolvendo a primeira namorada do futuro herói, Gwen StacyEmma Stone dá a graça, simpatia, beleza e personalidade forte da personagem.  Ela não fica esperando o Amigão da Vizinhança ir salvá-la, mas tenta dar um jeito de ajudar a situação.  Exatamente como nos quadrinhos.


Já a transformação do dr. Curt Connors no vilão Lagarto era algo que os fãs queriam desde que o personagem apareceu em "Homem-Aranha 2".  Rhys Ifans se esforça, mas a semelhança dele com o Clodovil faz sorrir cada vez que aparece em cena.

A família de Connors nem dá as caras no longa.  Nas HQs, eram a esposa e os filhos que davam motivação para o cientista deixar de ser dominado pela fera em que se transformava.  Falando na besta, o Lagarto vira um grande falastrão inteligente no lugar de um animal selvagem.  Dá vontade de mandar o Deadpool cuidar do cara...

Mas e o Aranha?  Bem, as piadas estão bem canastronas.  Estilo HA!  Algumas são forçadas como a que ele se ajoelha para o ladrão de carros.  Já as poses estão bem parecidas com as que estamos acostumados a ver no material original.  Ou seja, o herói foi mantido, mas o homem que veste a roupa, modificado.

O roteiro tenta interligar a origem do Homem-Aranha com quase todos os personagens do universo do herói.  Os pais de Peter, o Lagarto e possivelmente o Duende Verde são todos derivados da mesma equação.  É uma coincidência MUUUUUUUUUUUUUUUUITO grande, não acha?



O ponto forte do filme é a construção da relação Peter Parker/Tio Ben e Peter Parker/Gwen Stacy.  Essa última principalmente.  Webb já tinha demonstrado seu dote em relacionamentos amorosos complicados em "500 Dias com Ela" e repete a dose com sucesso.  Porém, em um longa inoportuno...

As brincadeiras entre casais, a confiança mútua que vai se desenvolvendo pouco a pouco.  Tudo isso envolve o público principalmente quem curte comédias românticas.  Sim!  "O Espetacular Homem-Aranha" é o tipo de filme de super-herói que uma namorada não nerd vai gostar.  E até chorar em algumas cenas.  Vai por mim.

Enquanto as patroas viajam no amor de Peter e Stacy, a cuecada fica com aquela cara de bunda.  Pensando: onde estão os personagens que cresceram comigo? Tirando a nerdice um pouco (bem pouco) de lado, que raios de roteiro é esse cheio de pontas abertas?  Esse filme era realmente necessário?  Que trilha sonora infernal (e entupida de clichês de filme de terror) está tocando? 

Desta vez, serão os homens que vão torcer pro filme acabar logo...

Nota:

sábado, 14 de julho de 2012 às 19:28 Postado por Leonardo Peixe 0 Comments



TÍTULO:  EMPEROR STARK

Tony Stark virou o maioral desde que Robert Downey Jr. interpretou o playboy nos cinemas.  Mas dominação mundial nunca foi um dos objetivos do Homem de Ferro.  Pelo menos, não até aparecer o Man of Action!

O engraçado é o que o episódio tem o nome de Stark, mas o personagem de destaque é o Visão.  O sintozóide finalmente foi para o lado da luz e está prestes a se tornar um Vingador.  Entretanto, a última batalha deixou o robô um tanto, digamos, desmantelado.

Ele está sendo reparado por Tony e recebe um reboot de 30 dias para voltar a funcionar.  Ao passar o período, Visão acorda em um mundo em que o dono das Indústrias Stark é o manda-chuva e mantém todo o mundo em estado sitiado.  Todos veneram Stark, de humanos à meta-humanos.



Ao reativar a inteligência artificial J.A.R.V.I.S., a criação de Ultron acaba descobrindo o que aconteceu.  E, claro, tem algo estranho por trás de toda aquela coloração púrpura que emana da Torre Stark.  Caberá à Visão rememorar a humanidade dos heróis.

A trama possui um grande quebra-pau entre heróis!  O destaque é a luta de Thor contra três Vingadores!  O asgardiano é fodástico!

Além disso, tudo é bem batido e sem graça.  A ameaça tem o nome de Homem-Púrpura que tem o poder de controlar a vontade das pessoas.  Sério, não lembrava desse vilão nem a pau!  Pelo tom roxo do ambiente, pensava que o inimigo era o cantor Prince e Tony ia aparecer cantando "Purple Rain".

Nota:




às 18:59 Postado por Leonardo Peixe 1 Comment


TÍTULO:  YELLOW JACKET

Lembra do Hank Pym?  É! O Homem-Formiga!  Ele andava desaparecido desde o episódio 05, mas volta a ser o destaque nesta aventura.  Porém, dá as caras em uma hora meio inconveniente...

Vespa e o Homem de Ferro (que já está na equipe de novo sem nenhuma explicação) vão visitar o cientista que está atuando em um laboratório de faculdade.  Pym mostra uma versão micro (utilizando partículas Pym) da prisão Casamata.

Entretanto, seu comportamento está diferente e Jan e Tony aconselham um descanso.  Tudo o que conseguem é serem expulsos e logo depois vem uma explosão.  Hank Pym está morto!

Temos uma das cenas mais legais dos cinco últimos episódios da temporada.  Todos os Vingadores, o Quarteto Fantástico e até o Homem-Aranha juntos no funeral do herói!  Eis que surge Nick Fury (com a desculpa que anda sumido por uns tempos.  Ah, vá!) e revela que a explosão no laboratório não foi um acidente.

Um carinha chamado Jaqueta Amarela se diz o assassino de Hank.  Porém, quem já acompanha as HQs, sabe que tem uma grande "pegadinha do Mallandro" quanto a identidade do rapaz.


O ápice do episódio é dentro da micro Casamata e tem um momento apelação em que Tony Stark vai "dar a vida" para salvar os amigos.  E, todo mundo sabe, que ele vai se safar.  Clichê pra lá de batido...

Desde que o grupo Man of Action assumiu a consultoria criativa da animação, os traços dos personagens sofreram leves alterações para melhor.  Porém, a história foi bastante comprometida sem momentos de muita empolgação ou suspense para as possíveis surpresas.

Para finalizar, um momento cultural! Dim-dom!  (Voz de locutor do Animal Planet) Você sabia que o nome Jaqueta Amarela não diz respeito somente a cor do uniforme do personagem?  A inspiração veio de um tipo de vespa predadora.

Nota:



TÍTULO:  ULTRON UNLIMITED

A chapa esquentou para os Vingadores!  O robô doidão Ultron volta a atacar a equipe revestido por uma armadura de adamantium (isso! o mesmo metal que cobre o esqueleto do Wolverine).  Seu objetivo é corrigir a imperfeição humana substituindo a equipe de super-heróis por sintozóides.

Visão volta a aparecer na série.  Após subjulgar Tony Stark e Miss Marvel, o andróide criado por Ultron ataca a Mansão dos Vingadores (de novo) para trocar o Gavião Arqueiro e Capitão América por robôs.

A trama parece uma versão "Exterminador do  Futuro" de "Invasão Secreta".  Esse negócio de substituir herói por E.T./robô já tá virando uma zona dentro da animação.  Mas, como já comentado no post passado, o Capitão América é sabido (ou esperto, se você está fora do Nordeste) e acaba se infiltrando entre os sintozóides para descobrir o paradeiro dos companheiros sumidos.


Finalmente, a ira de Thor é despertada na cena final!  O loiro de martelo manda ver nos pobres sintéticos e voa parafuso pra tudo que é lado!  Yeah!  Sobra até para o Ultron e sua vestimenta de adamantium.

O Visão, enfim, demonstra traços iguais ao de um humano assim como nos quadrinhos.  Será que ainda dá tempo dele virar um Vingador?  Descobriremos nos próximos episódios.

Também ficamos no aguardo de uma resposta quanto ao Homem de Ferro na equipe.  Hora ele faz parte, depois está fora.  Que raio de continuidade é essa?!

Nota:


    Perfil

    Minha foto
    Jornalista especialista em cultura pop principalmente cinema.

    Frequentadores