Karatê Kid – A Hora da Verdade” foi responsável por uma verdadeira mania entre os adolescentes. Lançado em 1984, o longa lotou não apenas as salas de cinema como as academias de artes marciais com jovens querendo aprender a arte ensinada pelo Sr. Miyagi (o saudoso Pat Morita). A produção também catapultou a carreira de Ralph Macchio que encarnou o discípulo Daniel-San e colocou Morita como personalidade cult. O sucesso do filme rendeu mais três continuações e uma série animada para a TV.

Vinte e seis anos depois (e uma crise de criatividade em Hollywood), eis que a Sony Pictures resolve fazer um remake mudando o elemento do Karatê para o Kung Fu. No elenco, o filho do astro Will Smith, Jaden Smith, e o mestre da ação Jackie Chan teriam a grande responsabilidade de recriar a química de Macchio e Morita. Muita gente (inclusive eu) duvidou do projeto que não se decidia se levaria o título original ou mudaria para “Kung Fu Kid”.

Eis que o longa pipoca nas telonas chamando-se “Karate Kid” para buscar nas mais remotas lembranças da galera de vinte e tantos anos a referência ao clássico. Mas durante a projeção é possível ver o imenso respeito que os realizadores tiveram ao material de origem e que Chan e Smith conseguiram com louvor reproduzir a cumplicidade e amizade do mestre com o discípulo.

A nova versão conta a mesma história do filme antigo. Um jovem que é perseguido pelos valentões da escola se cansa de apanhar e, com a ajuda de um velho lutador, decide enfrentar seus oponentes em um torneio de artes marciais. Os fãs da franquia irão se deliciar com a paródia da habilidade de Miyagi em pegar moscas com o hashi (o pauzinho usado pelos orientais para comer – sem duplo sentido, por favor). Também vão encontrar referências às lições do “encera carro” e “lixa assoalho”. Até o clássico chute da águia de Daniel-San será lembrado de forma diferente em algum momento.

Contudo, muitos novos detalhes foram acrescentados no filme de Harald Zwart (A Pantera Cor-de-Rosa 2) que conferem a obra um upgrade e, por falta de uma palavra melhor, refresh do anterior. Primeiro, o nome dos protagonistas foram mudados. Daniel-San agora é Xiao Dre e Sr. Miyagi é Sr. Han. Parece ser nada demais, mas a alteração ajuda o público a acolher melhor os personagens.

Outro fator interessante é a mudança do local da história dos Estados Unidos para a China. A obrigação de se inserir em uma cultura bastante diferente, aprender uma nova língua e ter que fazer amizade em uma cidade estranha ajuda a aumentar o clima de deslocamento do pequeno Dre Parker. Claro que a fotografia de Pequim também dá um tempero visual.

A escolha por um ator mais jovem que no longa original também compõe o cenário de exclusão do protagonista uma vez que ele depende da mãe para fazer certas coisas. E, aos 12 anos, não há mico maior que sair com a garota que você está fim com a mãe ao lado.

Aliás, a relação mãe e filho é pouquíssima explorada. Tal fator poderia dar até mais dramaticidade ao longa. A indicada ao Oscar de Melhor Atriz por “O Curioso Caso de Benjamin Button” Taraji P. Henson interpreta Sherry Parker, mãe de Dre. Ela deveria ter sido melhor aproveitada e acaba limitada a pequenas aparições. Em adição, o elenco de apoio com atores chineses também não ajuda muito.

Entretanto, Jackie Chan faz um ótimo trabalho. O astro faz uma das atuações mais convincentes de sua carreira. Comedido, ele dá o tom dramático correto para Sr. Han. Chan brilha na cena em que Dre o encontra dentro de um carro quebrado em que é revelado o passado do seu personagem. A sequência se estende até uma pequena e bela luta entre professor e o aluno. Sem dúvidas essa é a uma das partes mais emocionantes do longa.

No final, Jackie Chan conquista um pouco da admiração de quem sempre duvidou de sua capacidade de atuação. Já Jaden Smith mostra que está trilhando o caminho do papai famoso fazendo do seu Dre um cara cheio de marra e conquistador.  O jovem ator demonstra que realmente se preparou para lutar Kung Fu e faz ele mesmo algumas cenas de ação. Talvez, tenha pegado algumas dicas com o parceiro de cena. ;)

“Karate Kid” irá agradar tanto quem acompanhou as aventuras de Daniel-San nos idos anos oitenta quanto a nova geração. O filme, contudo, não deve virar uma verdadeira febre como o original. Afinal, o Kung Fu já está sendo explorado há décadas na indústria do cinema. Embora duvide que a franquia ganhe uma nova série animada, torço para que tenha ao menos uma continuação.

____________________________________________________________________________

Título Original: The Karate Kid
Direção: Harald Zwart
Elenco: Jackie Chan, Jaden Smith, Taraji P. Henson, Wenwen Han
Duração: 140 min
Ano de Produção: 2010
Estréia: 27 de agosto de 2010
Nota:

0 Responses so far.

    Perfil

    Minha foto
    Jornalista especialista em cultura pop principalmente cinema.

    Frequentadores